Ciclismo: é assim que se deve equipar para uma corrida

18 Agosto, 2022

vestir

Pedalar na estrada deve ser encarado como algo que se deve fazer com responsabilidade, por isso a escolha das tonalidades do vestuário deve, em primeiro lugar, privilegiar a segurança. Como tal, sugerimos usar pelo menos duas ou três peças de cor fluorescente. Pode ser o capacete, a jersey ou as meias, por exemplo. Usar vestuário completamente negro não é a melhor opção pois torna-nos invisíveis na estrada. Também sugerimos a adoção de uma luz traseira vermelha intermitente de boa qualidade (na zona do espigão de selim), bem como uma dianteira.

A escolha da roupa deve ser sempre feita com antecipação. No nosso caso sugerimos consultar os sites de informação meteorológica e consultar as previsões tanto da zona de partida como da zona de retorno (aquela onde retomaremos o caminho para o ponto de partida). Assim, evitamos percalços, como estar a chover na cidade de retorno, ou estarem menos 4 graus do que na zona de partida, etc. Acreditem que é um dos melhores conselhos que damos e falamos por experiência. Além disso, recomendamos antes de sair de casa, ir à janela ou varanda e confirmar durante alguns segundos a sensação térmica. Isto permite termos a noção de qual a roupa ideal.

Como o ciclismo evoluiu muito, existem centenas de marcas, desde as mais baratas às mais caras. Obviamente a qualidade paga-se e é preferível ter poucas peças de vestuário de ciclismo, mas de boa qualidade, do que muitas de má qualidade e baratas, mas que não usaremos frequentemente. Existem, para além dos mais conhecidos calções com e sem alças, jerseys, baselayers (camisolas interiores especificamente concebidas para eliminar a sudação rapidamente), manguitos (mangas que protegem os braços do frio, com corte aerodinâmico), pernitos (fazem o mesmo que os manguitos, mas são para as pernas), joelhitos (são, como o próprio nome indica; para os joelhos), coletes, buffs (para proteger o pescoço do vento frio), bonés (usam-se por baixo do capacete e têm uma pala mais pequena que protege do sol e da chuva), capas para os sapatos (protegem os pés do frio e da chuva), etc.

Quanto ao calçado, existem sapatos e pedais de encaixe específicos, mas numa fase inicial não recomendamos pois requerem algum treino na sua utilização. Mas são uma mais-valia pois permitem manter uma postura correta do joelho, calcanhar e pés, o que aumenta a performance, facilita a pedalada e evita o desperdício da energia aplicada em cada pedalada que damos. Acessórios como o capacete e os óculos de sol desportivos (por causa dos mosquitos e para proteger os olhos do vento) são fundamentais.

É essencial usar protetor solar a maior parte do ano, pois como é uma atividade física que envolve uma duração em média superior a uma hora e em ambiente externo, as típicas marcas de ciclista poderão ser evitadas com um índice de proteção adequado. Além disso, em tempo mais fresco recomendamos preparar roupa para temperaturas em regra 2 ou 3 graus mais frias do que a sensação térmica que temos à partida. Porquê? Porque em andamento o vento muda a sensação térmica. Exceto, claro, se formos fazer um treino exigente ou se o nosso trajeto incluir algumas subidas.

Outros Artigos



Outros Conteúdos GMG

Send this to friend