Comprimido que substitui o exercício físico: será uma boa ideia?

9 Agosto, 2022

exercício

Investigadores da Baylor College of Medicine publicaram um estudo na revista académica Nature sobre uma molécula que nos é muito cara, aquela produzida pelo corpo durante o exercício físico.

Normalmente produzir esta molécula custa-nos sacrifício, esforço físico e mental. No entanto, a descoberta dos investigadores implica que esta molécula pode ser artificialmente substituída, ou seja, em vez de ir ao ginásio ou ir correr, engole-se um comprimido.

A equipa de investigação analisou amostras de sangue de ratos que tinham corrido numa passadeira e descobriu que um aminoácido modificado chamado Lac-Phe era produzido a partir de lactato e fenilalanina. Quando os ratos com excesso de peso receberam Lac-Phe, reduziram o seu consumo alimentar em cerca de 50% em 12 horas, o que foi um efeito totalmente alheio ao exercício ou ao gasto de energia.

Isto pode parecer uma grande descoberta e seria realmente útil em algumas condições especiais, por exemplo, ajudar pessoas doentes que não podem fazer exercício.

Mas como sabemos, o que o desporto lhe dá não é redutível a uma molécula que regula o apetite. O desporto tem um efeito no nosso estado mental, no nível cardiovascular, na nossa autoestima, nas nossas relações com os outros. O desporto ajuda-nos a concentrar e melhora o nosso estado de espírito. Em suma, o desporto e o exercício não são mera química, são uma expressão da cultura humana e da nossa natureza.

Outros Artigos



Outros Conteúdos GMG

Send this to friend