Dicas certeiras para ir jantar fora sem engordar

2 Junho, 2022

Dicas certeiras para ir jantar fora sem engordar

Todos comemos fora de casa. Todos levamos uma vida agitada. Todos temos pouco tempo. Todos temos compromissos inalteráveis. No entanto, nem todos conseguimos comer saudavelmente fora de casa. Quer fazer parte deste grupo privilegiado? Só tem de pôr em prática algumas das ideias que encontra neste artigo.

As dicas, perigos e outros aspetos são agora esclarecidos, tendo em conta diferentes situações em que todos nós nos revemos.

Num restaurante

Levar o tupperware para o trabalho é uma opção saudável, mas sabemos que é aborrecido preparar essa refeição na noite anterior. Por isso, é normal que almoce fora algumas vezes.

O perigo: Por se tratar de uma situação diferente, o perigo está em optar por restaurantes fast-food ou refeições carregadas de hidratos de carbono.

O que comer: Os restaurantes com pratos do dia costumam ser especialistas em salgados difíceis de resistir, mesmo sabendo da sua quantidade de calorias. Deve manter a calma e optar por grelhados e salada ou peixe cozido.

Evite: A comida rápida é a sua grande inimiga. Se pensa que não, basta fazer as contas para mudar de opinião. O menu básico destes restaurantes tem em média: hambúrguer (600 gramas), batatas fritas (353 calorias) e um refrigerante com gás (145 calorias). Contém a “modesta” quantia de 1.098 calorias, praticamente metade das necessidades energéticas diárias de qualquer pessoa.

Atenção: Não almoçar e aguardar até ao jantar sem comer nada. Isso só o leva a devorar o jantar assim que se senta à mesa, comendo mais do que é suposto. Isto se a meio da tarde não sofrer uma quebra da glicose e se vir obrigado a ir à máquina de snacks da empresa, onde não encontrará nada saudável.

Uns petiscos

Os seus colegas de trabalho sugerem uns petiscos ao almoço e você está prestes a declinar o convite por estar a fazer dieta. Não precisa! Saiba escolher.

O perigo: Por serem vários pratos pequenos, pode perder o controlo do quanto come.

O que comer: Os petiscos portugueses são deliciosos e existem em variedade. Há que saber escolher.

Evite: Fritos, molhos e enlatados. Os números falam por si: enlatados (290 kcal), batatas bravas (400 kcal), salada russa (550 kcal),gambas al ajillo (300 kcal), calamares à romana (675 kcal)…

Atenção: Às bebidas. Cuidado com a quantidade que bebe, mesmo de cerveja ou vinho. Evite mesmo o gin tónico, porque com um simples copo ingere 390 calorias. Modere também a quantidade de pão que come.

Eventos

O perigo: Como os empregados de mesa vão e vêm constantemente e servem na bandeja comida em pequenas porções, é fácil comer em demasia sem ter a noção da quantidade de calorias.

O que comer: Apesar de pequenos, a maior parte dos canapés são autênticas bombas calóricas. Assim, coma moderadamente e quando chegar a casa pode fazer uma refeição ligeira ou comer uma peça de fruta ou um iogurte.

Evite: Todos os fritos ou comida com bechamel. Um croquete pode ter facilmente 100 calorias, três ou quatro empadas superam as 250 calorias e uma mão-cheia de calamares fritos as 290 calorias. Já para não falar do foie gras , que além de um aporte calórico elevadíssimo (518 cal/100 gramas contêm entre 42 e 50% de gordura). São um autêntico veneno para a sua alimentação e saúde. As mini tostas com patês saciam, mas só as tostas aportam 150 calorias. Por isso, moderação continua a ser a palavra certa. E se acompanhar com bebidas alcoólicas está a agravar a conta das calorias: está provado que as bebidas alcoólicas nos fazem comer mais rapidamente, em maior quantidade e diminuem a saciedade.

Atenção: Não diversifique muito os alimentos que come. Cientistas e nutricionistas coincidem em alertar que consumir dois tipos de proteínas (carne e peixe) na mesma refeição dificulta a digestão. Por isso, acabar esta noite agitada a tomar um chá em casa ajudá-lo-á a dormir mais descansado.

Em frente ao computador

Está disposto a passar todo o dia de trabalho à frente do computador para resolver assuntos pendentes. Ou seja, vai comer na secretária.

O perigo: Como está com imensa pressão por ter de finalizar um trabalho, pode cair na tentação de comer mal para se sentir “compensado”.

O que comer: Tenha sempre barras energéticas na gaveta da sua secretária. Garantem-lhe uma grande parte dos nutrientes de que necessita, têm poucas calorias e o seu elevado conteúdo em fibra vai saciá-lo mais depressa. No dia em que comer as barras, deve – na próxima refeição principal – comer produtos frescos. Lembramos que não deve comer as barras energéticas como se de uma guloseima se tratasse. Substitua o café por chá. Sentir-se-á mais calmo e diminuirá a vontade de petiscar.

Evite: Afaste-se das máquinas de snacks, pois contêm opções diabolicamente calóricas, como bolachas doces e salgadas, batatas fritas, chocolates, bolos industriais… Estas máquinas parecem oferecer uma ampla oferta de produtos, mas tudo o que contêm tem o mesmo denominador comum: um elevado conteúdo em hidratos de carbono e gorduras, juntamente com um punhado de calorias. O consumo regular destes produtos dispara os níveis de colesterol e, segundo um estudo realizado pelo Instituto Nacional do Cancro em Bethesda (EUA) e pelo Instituto Nacional de Saúde Pública de Cuernavaca (México) aumenta o risco de padecer de cancro no estômago: o sal destes aperitivos danifica a membrana do estômago. Necessita de mais motivos para se manter afastado desta máquina infernal?

Atenção: Se comer em pouco tempo (muito longe dos 40 minutos ideais que a OMS estabeleceu) e perante uma multiplicidade de distrações, não mastiga a comida corretamente e o seu cérebro apenas registará a comida do almoço como uma espécie de sobremesa, pelo que aumentará as probabilidades de comer muito mais ao longo do resto do dia.

Programa familiar ao domingo

Não há nada melhor que comer em casa da mãe ou, se tiver de ser, da sogra. Demonstram o amor que têm por si cozinhando quantidades industriais que permitiriam alimentar uma cidade inteira durante uma semana!

O perigo: Se começar com um aperitivo copioso, fica em maus lençóis.

O que comer: Não se trata de comer tudo e deitar por terra o controlo alimentar que teve durante a semana, mas apenas de ter alguma liberdade para desfrutar da sua refeição predileta. Mas só se nos prometer que não o fará por mais de uma refeição, sobretudo se se tratar de um prato super calórico. Sugerimos que acompanhe com… água. Mas não exagere, pois dificulta a digestão.

Evite: As entradas e sobremesas. O melhor é suprimi-las por completo ou, pelo menos, que as substitua por fruta. Lembramos que uma peça de fruta tem as mesmas calorias quer as coma antes ou depois da refeição, ainda que haja especialistas que recomendem a sua ingestão antes da refeição por forma a facilitar a digestão. Ao invés, se comer fruta à sobremesa usufruirá dos seus ácidos para limpar os dentes de uma forma natural.

Atenção ao sono. Sabemos que, após uma copiosa refeição, apetece deitarmo-nos no sofá a ver televisão. E que também é comum adormecer. Desde que não durma mais de 15 ou 20 minutos, não é grave. O problema reside fundamentalmente quando se deixa ficar. Lembre-se que cada minuto que está deitado no sofá se converterá facilmente em gordura. Quer um conselho simples? Após as refeições, faça um passeio, por mais pequeno que seja.

Jantar com amigos num italiano

Um sábado à noite e um plano perfeito: ir comer a um restaurante italiano com os seus melhores amigos. Mesmo que não acredite, pode facilmente optar por um menu saudável e dietético.

O perigo: Ver os seus amigos comer de tudo, sem preocupações. Isso pode mexer consigo, mas a sua recompensa virá depois (e eles serão “castigados”).

O que comer: Parece que está na moda criticar os hidratos de carbono. Por outro lado, parece que a cozinha italiana se baseia exclusivamente na pasta. Mas nós asseguramos que pode ir comer a um italiano sem sair de lá com uns gramas a mais. Primeira sugestão: opte pelo azeite, vinagre e limão, evite o parmesão.

Evite: Os crostinis (pão de queijo, enlatados…), os molhos da bolonhesa ou carbonara , os canelones, a lasanha, a pizza … Saiba que 200 gramas de lasanha, por exemplo, acarretam umas 800 kcal.
A pasta não engorda tanto, o que descompensa a balança são os molhos. Sugerimos que escolha pasta com verduras, cogumelos ou frutos do mar e adicione um fio de azeite. A diferença: um prato de pasta com tomate tem umas 400 kcal, enquanto um com natas, cogumelos e bacon ultrapassa as 600. Mas se for realmente fã de pizza, escolha sempre a que tiver mais verduras e zero de extra queijo. A diferença são cerca de 250 kcal de uma pizza vegetariana para 650 de uma com mozzarella. E nada de gelados (entre 110 e 380 kcal) nem tiramisu (411 kcal). Tome um bom café.

Atenção… às entradas como os palitos salgados, as azeitonas, pão de alho, etc. Resultado: antes de ter começado a jantar já ingeriu um punhado de calorias.

Jantar romântico num japonês

Há mulheres fascinadas com comida japonesa. Se for o caso da sua, só tem de levá-la a um restaurante com nível para encontrar sushi de qualidade, por exemplo.

O perigo: Os restaurantes japoneses costumam ter todo o tipo de comidas. Muitas vezes apresentam pratos que mais parecem pertencer à culinária chinesa, recorrendo muitas vezes aos fritos.

O que comer: A comida realmente japonesa não engorda e é muito saudável. Por exemplo, a sopa de miso possui imensas proteínas e minerais e o peixe do sushi é do mais rico em Ómega-3 que existe (atum, salmão…).

Evite: Apesar da fama de ser saudável e ligeira, a cozinha japonesa também tem pratos que destroem qualquer dieta. A tempura é o melhor exemplo disso. Para que faça uma ideia, 85 g destes fritos têm as mesmas calorias que uma sopa de miso, um bule de salada e 340 g de sushi . Atenção também à galinha yakitori (324 kcal). Se a pedir como prato único não há problema, o mesmo acontece com o arroz ou as massas. E, já agora, não abuse nos brindes com sakè (116 kcal) no final do jantar. Passe diretamente para uma chávena de chá verde, que está carregado de propriedades antioxidantes.

Atenção: Às refeições em que precisa de garfo e faca. Sempre que possível, tente comer com paus: comerá menos (e deixará escapar o molho) e isso deixá-lo-á saciado mais rapidamente.

Outros Artigos



Outros Conteúdos GMG

Send this to friend