Será a toma de suplementos no pré-treino essencial ou dispensável?

3 Julho, 2022

suplementos

A oferta de suplementos pré-treino que prometem vantagens como melhor rendimento no treino é cada vez maior. Questionámos um nutricionista sobre o assunto.

O que se diz: Os suplementos pré-treino podem ser descritos como misturas pré-preparadas de substâncias químicas e por vezes naturais, criadas com o objetivo de garantir maior energia e resistência e menor fadiga durante o treino. Em suma, prometem um treino mais longo e intenso, com melhores resultados.

O que é verdade: “A chave para um bom treino começa com o planeamento alimentar que não raras vezes carece pouco de suplementação”, garante Ricardo de Castro, nutricionista que admite não ter o hábito de recomendar tal suplementação. Contudo, tal não significa que esta não seja uma opção indicada ao seu caso. Em suplemento ou não, o que importa é o que o compõe.

O que deve garantir: “A refeição pré-treino deve fornecer nutrientes em dose suficiente para promover um bom desempenho no treino, que pode ser bastante diversificado nas suas necessidades. Tentando generalizar, o pré-treino deve fornecer vitaminas, minerais, hidratos de carbono e proteína, sendo que a cafeína possui um efeito ergogénico interessante, podendo ser interessante a sua inclusão no pré-treino”, esclarece.

O que é falso: Alguns suplementos pré-treino anunciam que contêm creatina, mas não o suficiente do composto. Há que garantir que a sua presença não é apenas teórica pois, como salienta Ricardo de Castro, esta é “uma substância altamente estudada e de eficácia garantida que seguindo alguns protocolos de toma regular permite auxiliar o desempenho no treino. O seu efeito acontece devido ao seu uso regular”, por isso, como pré-treino ou não, a sua toma importa.

Deve tomá-lo? Tal resposta deve basear-se na avaliação ao seu caso específico, feita por um nutricionista, “uma vez a inclusão de um suplemento surge da necessidade individual do indivíduo, condicionada ou não por questões fisiológicas e de saúde”, alerta Ricardo de Castro que acrescenta: “o suplemento será sempre desaconselhado a quem não foi prescrita suplementação”.

Outros Artigos



Outros Conteúdos GMG

Send this to friend