“As pessoas riam-se de mim e não comigo. Perdi 100kg”

19 Novembro, 2021

pessoas

Amer Ismail começou a ganhar peso durante a infância devido a um estilo de vida sedentário, muito tempo passado em casa a jogar videojogos e pouco conhecimento sobre o que significava comer de forma saudável. Tudo contribuiu para chegar aos 213 kg quando tinha apenas 20 anos.

Mas, depois de aceitar o desafio de comer 18 cachorros quentes numa noite, Ismail percebeu que as pessoas que o rodeavam tinham deixado de o respeitar. Este foi o grande ponto de mudança na vida deste jovem, que decidiu deixar a comida de ‘plástico’ de lado, aprendeu a fazer Ski, esteve perto da morte e, no processo, perdeu cerca de 100 kg.

“O maior fator que me fez chegar a este peso foi, honestamente, muita ignorância”, explicou à Men’s Health. “Não éramos pessoas com muito dinheiro enquanto crescíamos. E não se tratava da qualidade da comida, mas sim da qualidade. Porquê ganhar oito euros numa salada quando podia comprar oito hambúrgueres por esse preço?”.

Além da questão financeira, Ismail também usava a comida como mecanismo de defesa para aguentar situações de maior stress e tristeza. “Ironicamente, a comida era um mecanismo para lidar com a minha própria obesidade. Sempre fizeram pouco de mim, sempre me fizeram bullying e sempre fui provocado devido ao meu tamanho. Eu comia para aliviar a dor”, continua.

Este jovem sabia que queria perder peso. Por isso, começou a tentar. E a tentar. E tentou mais um pouco. Experimentou a dieta cetogénica, suplementos, jejuar e todos os tipos de dietas pelo meio destas. A certa altura conseguiu perder 27 kg, mas rapidamente voltou a ganhar 90 kg. E este ciclo continuou até chegar aos 213 kg.

Ter 213 kg não é normal e as pessoas tendem a olhar para nós de forma diferente. As nossas ideias não são levadas a sério e as pessoas olham com desrespeito”, adiantou. “Custa saber que podem olhar para nós e sentir desprezo sem se quer nos conhecerem”, explica.

 

O desrespeito levou-o a um ponto de viragem

Durante um jogo de baseball que assistia com alguns amigos, Amer foi desafiado a comer 18 cachorros quentes. “Era arrogante e orgulhoso e eu aceitei comer os 18 cachorros quentes”, disse. Apesar de ter encarado isto como uma conquista naquele dia, rapidamente a sua irmã o chamou à razão. “Contei à minha irmã o que tinha feito. E ela perguntou-me porquê e tentou chamar-me à razão. Depois, apercebi-me de que as pessoas se estavam a rir de mim e não comigo”.

Mudança de paradigma

A partir daí houve um click e soube que se queria respeito tinha de, primeiro, se respeitar. Tudo começou com a aceitação de si próprio. Primeiro aconteceram pequenas mudanças como deixar de beber refrigerantes e reduzir as porções da comida.

Estas alterações foram suficientes para perder cerca de 20 kg, mas, depois disso foi tempo de começar a contar as calorias. Conseguiu manter a ingestão diária abaixo da 2800 calorias por dia e perder quase 2 kg por semana.

“Apercebi-me de que 2800 calorias de fast food não seriam suficientes para me manter cheio”, pelo que mudou a rotina alimentar. “Estava sempre com fome e comecei a comer mais frango e brócolos, entre outras escolhas saudáveis”, explicou à MH.

Depois da comida chegou o exercício físico e Amer tinha o sonho de conseguir fazer Ski, tornando-se mesmo um atleta da modalidade. E quase conseguiu em 2017, quando tinha 23 anos e havia perdido cerca de 40 kg. Mas, quase deitou tudo a perder quando tentou andar num touro mecânico na festa de Natal da empresa.

“A minha perna ficou ficou presa é a minha rótula saiu do sítio. No dia a seguir não conseguia andar e, seis semanas depois, tive de fazer uma cirurgia por causa dos ligamentos”. Nem mesmo este percalço conseguiu derrubar a vontade de viver deste homem. Com movimentos limitados, Amer focou-se na dieta.

Depois, começou a fazer fisioterapia e voltou a ter os seus objetivos de se tornar um atleta na agenda. Entre as refeições nutritivas e toda uma nova forma de treinar, Ismail conseguiu perder cerca de 100 kg ou, como diz entre risos, perdeu um Hugh Jackman.

 

“Consigo andar 12 horas por dia, quando antes caminhar uma hora me deixava de rastos”, explicou. “Posso saltar e dou por mim a dançar enquanto oiço música e sinto-me maravilhado com o quão leve tudo me parece”.

 

Um novo obstáculo

No início de 2019, dois anos depois de ter tido um problema na rótula, Ismail conseguiu finalmente realizar o sonho de fazer Ski. Durante uma das duas primeiras aulas, caiu e aterrou sobre a sua barriga, o que causou uma rutura no baço. “Perdi quatro litros de sangue e fui levado de emergência para as urgências. Infelizmente, o meu baço teve de ser removido e fiquei na Unidade de Cuidados Intensivos durante uma semana. Os médicos disseram-me que tinha tido sobre por sobreviver. Sou simplesmente feliz por estar vivo”, afirmou.

Mas, nem situações como encarar a morte de perto o fizeram perder o foco. Ismail sente-se mesmo grato por cada aspeto da sua jornada de perda de peso – até mesmo os desafios mais intensos. “Lembro-me do quão feliz fiquei quando pude fazer Ski. Era algo que sempre quis fazer e foi por isso que trabalhei tão arduamente. Mal posso esperar para repetir”.

Enquanto recupera da cirurgia, Amer tem-se focado na nutrição e tem planos para correr a sua primeira meia-maratona este ano. “Está tudo na minha ‘bucket list’ e vou fazer tudo. Tenho planos para fazer rafting em julho e nunca sonhei que pudesse faze-lo”.

“Perder peso é como aprender a tocar guitarra ou uma língua nova. Requer prática e compromisso. É preciso haver organização e os resultados não se vão notar nos dias seguintes, nem mesmo nas semanas seguintes. Temos de confiar no processo e continuar a trabalhar”, conclui.

 

Veja a mudança impressionante de Amer na galeria!

Artigo via Men’s Health

Outros Artigos



Outros Conteúdos GMG

Send this to friend