Como foi feito o primeiro transplante total de pénis e escroto

Cirurgião

Foi feito, pela primeira vez, um transplante total de pénis e escroto. A operação que decorreu no hospital norte-americano Johns Hopkins precisou de 11 cirurgiões e demorou 14 horas. O recetor foi um jovem soldado, ferido numa explosão de bomba no Afeganistão. Além do pénis e escroto, este homem recebeu também parte da parede abdominal.

Segundo o jornal The New York Times, o soldado só não recebeu os testículos porque estes órgãos continham esperma dador, algo que levantaria várias questões éticas mais tarde, caso o homem optasse por ter filhos.

Antes desta cirurgia, o paciente pensou que nunca mais iria ter um relacionamento amoroso. Agora tem uma nova esperança.

Imagem divulgada pelo Hospital Johns Hopkins que explica, ao pormenor, como foi feito o transplante

“Com esta lesão senti afastada qualquer possibilidade de ter uma relação. Pensava que ia estar sozinho para o resto da vida. Lutei contra isso, tentando sentir-me homem ao longo deste tempo“, explicou o veterano de guerra, preferindo manter o anonimato, ao mesmo jornal norte-americano.

Os médicos, por sua vez, acreditam que o novo pénis vai devolver ao homem as capacidades de urinar e desfrutar de relações sexuais.

“Estamos esperançosos de que este transplante ajude a restaurar as funções urinárias e sexuais a este jovem“, afirmou à Men’s Health Andrew Lee, professor e diretor de cirurgia plástica e reconstrutiva da Universidade de Medicina Johns Hopkins.

Como em qualquer transplante há a hipótese de o corpo do paciente rejeitar o pénis. No entanto, o paciente está a tomar vários medicamentos que vão reduzir a probabilidade de isso acontecer.


Leia também:

Pénis, o tamanho no homem português!

ARTIGOS RELACIONADOS


OUTROS CONTEÚDOS GMG


Send this to friend